Lipoescultura, uma alternativa para melhorar o contorno corporalMuitas vezes nosso corpo tem uma propensão para acumular gorduras em determinadas áreas e não é possível corrigir isto apenas com dieta e exercícios físicos. A lipoescultura, uma cirurgia que envolve a lipoaspiração da gordura em determinadas áreas e o enxerto dessa mesma gordura em outras, serve justamente para isso, para diminuir as áreas onde sobram acúmulos gordurosos e preencher as áreas do corpo onde há falta de volume.

A cirurgia de lipoescultura pode ser feita tanto em homens quanto em mulheres e é indicada para o tratamento de áreas com excesso de gordura na barriga, nádegas, quadris, flancos, culotes, face interna das coxas, mamas (peito masculino), costas, face e braços e o enxerto de parte da gordura retirada em locais que necessitam de aumento de volume.

Como é feita a cirurgia

O paciente deve estar próximo ao seu peso ideal. A anestesia pode ser geral ou a peridural, dependendo da área que será aspirada.

Primeiro, o médico fará a lipoaspiração da gordura, por meio das cânulas de lipoaspiração. Depois de retirada, essa gordura passa por uma espécie de tratamento com a retirada de células de gorduras rompidas, sangue e anestésico.

Após ser tratada, a gordura é injetada com finas seringas nos locais desejados pelo paciente. Os locais onde mais ocorrem enxerto são glúteos e o rosto. O enxerto é feito com seringas.

Duração

Antes de realizar a cirurgia, o paciente deve se certificar das credenciais do cirurgião plástico. O procedimento é seguro quando feito em ambiente hospitalar e quando o cirurgião é qualificado.

Já a duração da cirurgia depende muito da área que será tratada, quanto maior, mais tempo o procedimento levará para ser concluído.

Como a gordura utilizada no enxerto é do próprio corpo, não há riscos de rejeição. No entanto, é necessário tomar todos os cuidados orientados pelo médico no período pós-operatório que são parecidos com a da lipoaspiração, o que inclui não massagear a área que recebeu o enxerto gorduroso. Além disso, a área que passa pela cirurgia começa a melhorar a partir de um mês e o resultado final costuma a aparecer em seis meses.

Quando a cirurgia plástica melhora a saúde e a autoestima

Quando a cirurgia plástica melhora a saúde e a autoestimaAs cirurgias plásticas não podem ser vistas apenas como intervenções estéticas. Estudos comprovam que este tipo de procedimento possui efeitos positivos ao elevar a autoestima e devolver a identidade perdida pelo paciente.

Os impactos dos inúmeros procedimentos são visíveis no que tange a recuperação não apenas da autoestima, mas da saúde psicológica de muitas pessoas. A autoestima elevada é responsável por promover uma blindagem no cérebro, afastando problemas relacionados à autoimagem, como a depressão, e ajudando até na recuperação de doenças.

Isso faz com que pessoas obtenham mais benefícios com a cirurgia plástica do que simplesmente uma mudança na aparência.

Os mais variados procedimentos desempenhados pelo cirurgião plástico podem, por exemplo, tratar imperfeições com a otoplastia, cirurgia que corrige a orelha de abano, que é um dos motivos para crianças e adultos sofrerem bullying.

As cirurgias também reparam danos sofridos por pessoas em acidentes ou causados doenças como o câncer.

O efeito estético da intervenção cirúrgica também é sentido por pessoas que tiveram um grande emagrecimento após redução de estômago ou dieta e precisam se livrar do excesso de pele e de gordura localizada, o que é possível realizar com a dermolipectomia abdominal higiênica para remoção do excesso de pele no abdômen ou ainda a lipoescultura, que retira gordura localizada de áreas do corpo e permite injetá-la em outras áreas onde falta essa gordura.

No entanto, como existem riscos, não é indicado procurar a cirurgia para qualquer detalhe. O conselho dos especialistas para avaliar se o momento é certo para procurar um cirurgião plástico é notar se algo da aparência começa a incomodar de tal forma que a pessoa altera seu comportamento e muda seus hábitos para evitar se expor e expor esse problema.

Além disso, ao decidir realizar a cirurgia plástica é necessário se cercar de todo cuidado como, por exemplo, verificar se o médico tem registro, o que pode ser feito no site da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (http://www2.cirurgiaplastica.org.br/), seguir todas as orientações do médicos sobre os cuidados durante os períodos pré e pós-operatório e conversar com o cirurgião para entender bem sobre o procedimento que pretende realizar.

Veja alguns mitos e verdades sobre cirurgias plásticas

Veja alguns mitos e verdades sobre cirurgias plásticas Será que o inverno é a melhor época para realizar cirurgias plásticas? Ou se tomar anticoncepcional impede uma pessoa de fazer o procedimento.

O desconhecimento faz com que as pessoas tenham muitas dúvidas sobre as realizações das cirurgias. Levantamos algumas verdades e mitos mais comuns que passam pela cabeça de quem deseja fazer uma cirurgia plástica.

1 – É verdade que o inverno é a melhor época para fazer a cirurgia?
As cirurgias plásticas podem ser realizadas em qualquer época do ano. O que ocorre é que o inverno por conta das temperaturas mais amenas, acaba sendo um período mais agradável para realizar os procedimentos pois muitos deles requerem o uso de cintas no pós operatório.
No entanto, a melhor época acaba sendo aquela em que o paciente tem disponibilidade para fazer a cirurgia e também se dedicar ao período de recuperação.

2 – Fumar atrapalha a cicatrização da cirurgia?
Para começo de conversa, o tabagismo faz mal à saúde e por si só, já deveria ser evitado. Ocorre que fumar pode sim atrapalhar a cicatrização e também facilita a ocorrência de hematomas. Se você fuma, conte ao médico antes de realizar a cirurgia e siga suas recomendações.

3- Não pode tomar sol?
O sol precisa ser evitado sim porque em muitos casos após a cirurgia o paciente pode apresentar inchaços ou hematomas. A exposição ao sol pode prolongar o tempo do inchaço e do edema e causar complicações na recuperação como deixar a pele manchada. Também é preciso cuidado com cicatriz durante os primeiros seis meses com proteção solar e barreiras físicas como um tecido.

4- É verdade que quem toma pílula anticoncepcional não pode fazer a cirurgia?
O uso da pílula não impede a cirurgia, mas os médicos recomendam a suspensão do uso do medicamento pelo menos 30 dias antes da realização do procedimento.
A interrupção é necessária para prevenção do risco de trombose venosa profunda e tromboembolia pulmonar.

5- A celulite some com a lipoaspiração?

A lipoaspiração não é um procedimento recomendado para eliminar celulite e, sim, a gordura localizada. A lipo, inclusive, pode piorar o estado da pele em uma área com celulite, por isso, antes de realizar o procedimento, se oriente bem com o médico.

Tire dúvidas sobre cirurgias plásticas

A realização de cirurgias plásticas gera muitas dúvidas e muitas pessoas chegam a ter medo de realizar o procedimento.

É certo que antes de fazer o procedimento é recomendado verificar o registro do médico escolhido, sempre buscar a indicação de um profissional, caso não conheça algum e na consulta procurar tirar todas suas dúvidas sobre o procedimento que deseja realizar.

Veja algumas dúvidas sobre cirurgias plásticas:

1 – Silicone: preciso trocar a prótese a cada dez anos?
Em algumas situações, a troca da prótese é necessária, na maioria das vezes por desejo de mulher. Mas não existe um prazo determinado para substituição das próteses. Atualmente, as próteses são bem desenvolvidas, possuem o invólucro mais resistente por fora e gel coesivo em seu interior, ou seja, podem ficar por mais de 10 anos no corpo da mulher porém a SBCP continua recomendando que sejam substituídas a cada dez anos.
É recomendado que quem implanta próteses de silicone sempre realize um acompanhamento médico para verificação das mesmas.

2 – Silicone: quem tem não pode amamentar?
Não, você vai poder amamentar normalmente. Isso porque a prótese é implantada atrás do parênquima mamário ou atrás do músculo peitoral, sendo assim, não atrapalha a amamentação, nem impede a produção do leite materno.

3- A recuperação das cirurgias plásticas é dolorida?
Na maior parte, as cirurgias não causam dor, mas, claro, há um período de recuperação que o paciente precisa observar os cuidados recomendados pelo médico. Caso possa ocorrer dor, o médico, geralmente, receita um analgésico.

4- Lipoaspiração emagrece?
Não. A lipoaspiração é um procedimento cirúrgico realizado para remodelar o corpo, mas de nada vai adiantar se a pessoa não adotar uma alimentação adequada e praticar exercícios físicos.
Após a lipo, se continuar mantendo hábitos alimentares ruins e, além disso, não praticar exercícios físicos regularmente, a gordura voltará a se acumular nos locais onde não foi feita a lipo.

5 – Posso engordar depois da lipoaspiração?
Se não tiver uma alimentação regrada e praticar exercícios, pode sim. A área que foi lipoaspirada ‘engordará’ menos por ter menos adipócitos (células gordurosas) já que uma parte foi retirada na lipoaspiração. Na lipoaspiração aspira-se células de gordura, mas as células remanescentes continuam com sua função normal, ou seja, estocar gordura.

Aumenta a procura de cirurgia plástica entre os homens

Aumenta a procura de cirurgia plástica entre os homensO homem brasileiro se tornou mais moderno, vem quebrando preconceitos e demonstrando mais preocupação com a boa aparência. Um reflexo dessa mudança de comportamento é o aumento das cirurgias plásticas entre o sexo masculino.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), as cirurgias plásticas entre os homens quadriplicaram nos últimos cinco anos, passando de 72 para 276 mil procedimentos ao ano.

Os homens têm procurado os consultórios de cirurgiões plásticos por inúmeras razões, não apenas pela estética. Quando jovens, a tendência é que eles procurem mais por procedimentos corretivos, mas que tem efeitos estéticos. A partir dos 20 anos, os homens começam a procurar pelas correções e algumas coisas estéticas e a partir dos 30 começam a procurar cada vez mais por procedimentos para melhorar a aparência do corpo e rosto. Um dos procedimentos procurados é para redução de mamas, conhecida como ginecomastia.

No homem, a mama pode ter um crescimento anormal durante a adolescência por causa do alto nível de testosterona no organismo do jovem. Outros fatores para o surgimento do problema estão a obesidade e o uso indiscriminado de anabolizantes.

A mama cresce e fica com um aspecto mais feminino e só uma intervenção cirúrgica resolve o problema.

Com isso, a procura por cirurgia plástica seja por estética ou corretiva está aumentando entre os homens brasileiros.

Mas não é apenas isso não. Eles também estão preocupados com a aparência e estão procurando por procedimentos de rinoplastia que é a plástica para correção ou remodelação do nariz.

Eles também procuram os médicos para realizar a cirurgia de pálpebras que corrige o excesso de pele da dobra natural das pálpebras superiores, prejudicando a visão e dando aquele ar de olho caído, e também nas inferiores para remoção de uma bolsa que se forma na parte debaixo dos olhos.

Outro procedimento muito procurado pelos homens, mas que ainda amedronta muita gente é a lipoaspiração. A cirurgia envolve a remoção de gordura por meio de uma cânula, que é um tubo de metal oco, e que é inserida no tecido adiposo. Um dos tipos mais comum da lipoaspiração envolve a aspiração da gordura com uma bomba que gera um vácuo e é conhecido como lipoaspiração assistida de sucção.

Cuidados

Antes de decidir fazer uma cirurgia plástica, você deve se certificar que o cirurgião faça parte da SBCP. Além disso, há uma série de recomendações pré-operatórias como realização de exames, consultas com anestesistas, entre outros procedimentos que podem ser recomendados pelo médico antes da realização da cirurgia.

O ideal também é conversar bem com o médico sobre o tipo de cirurgia que pretende realizar e saber também quais os cuidados que precisará tomar após a cirurgia, o chamado pós-operatório.

Procedimentos mais procurados de acordo com a faixa etária

10 a 20 anos – correção de orelhas em abano (otoplastia)

20 a 30 anos – redução das mamas masculinas (ginecomastia) e plástica no nariz (rinoplastia) e otoplastia.

30 a 40 anos – lipoaspiração, lipoescultura e implantes capilares

40 a 50 anos – implantes capilares

50 a 60 anos – blefaroplastia (cirurgia nas pálpebras)

60 anos ou mais – tratamento de rugas no rosto e lifting facial (ritidoplastia)

Cirurgias plásticas combinada: qual o limite?

Cirurgias plásticas combinadasÉ comum o paciente chegar ao consultório médico com o desejo de melhorar o aspecto dos seios, do abdômen, das coxas ou de outras áreas do corpo ao mesmo tempo. Por isso, em algumas situações é indicada a cirurgia plástica combinada que tem o objetivo de reunir dois ou mais procedimentos em uma mesma operação. Mas, esta decisão não é assim tão simples, apesar das vantagens existem alguns riscos envolvidos que precisam ser analisados.

Realizar mais de um procedimento no mesmo dia reduz o custo da operação e da internação, assim como o tempo de recuperação, afinal o descanso será apenas um. Porém, em contrapartida o cirurgião avalia algumas situações.

O estado de saúde geral do paciente é o primeiro ponto a ser considerado. Pessoas com doenças crônicas, como diabetes, pressão alta ou alterações na tireoide precisam de um cuidado especial. Estar fora do peso ideal ou ter como hábito fumar ou ingerir frequentemente bebida alcoólica também são situações que serão consideradas.

Após a liberação médica dessas situações é preciso analisar quais tipos de cirurgia podem ser associadas. Por exemplo, a lipoaspiração é um procedimento que pode ser feito em conjunto com a abdominoplastia ou a prótese de mamas, assim como só a abdominoplastia com a cirurgia de aumento ou diminuição dos seios. Essas técnicas podem ser executadas no mesmo dia porque ambos têm a mesma restrição de movimentos no pós-operatório.

Já a prótese de bumbum com a operação nos seios ou no abdômen não é tida como ideal, considerando que o paciente não pode se apoiar no local onde foi realizada a cirurgia, ou seja, não poderia ficar deitado de barriga para cima e nem de barriga para baixo.

Quanto aos demais procedimentos considerados possíveis estão a prótese de bumbum e a lipoaspiração; a abdominoplastia e a cirurgia das coxas; a mamoplastia e a operação para retirar excesso de pele dos braços. Quanto à técnica para retirar a gordura e a pele do braço e da coxa ela também é contraindicada, pois limita duas áreas importantes de movimentos.

Sendo assim, a conclusão é que não existe um limite de procedimentos a serem realizados, mas é necessário o bom senso do cirurgião e do paciente, pois quanto mais longa e extensa for à área do corpo operada maiores também serão os riscos, já que o tempo de cirurgia está diretamente relacionado ao tempo de anestesia, associação está que altera o metabolismo e a fisiologia do corpo, que resulta em estresse cirúrgico. O ideal é que o tempo cirurgia não ultrapasse mais do que 6 a 8 horas.

Sobre o limite da extensão do corpo a ser tratado o Conselho Federal de Medicina (CFM) alerta que este não pode ultrapassar mais do que 40% da superfície corporal.
E, além de todo esse preparo é necessário ter uma equipe médica qualificada, afinal serão horas de cirurgia. O ideal é ter o cirurgião e um médico assistente, um anestesista e enfermeiros que vão assegurar o conforto e a segurança de paciente.

Sobre os cuidados que o paciente pode dispor para o pós-operatório eles são tão importantes quanto o procedimento. Uma pessoa com disponibilidade para um mês ou mais de recuperação, com auxílio de outras pessoas poderá associar cirurgias com mais chances de ter uma boa recuperação. Considerando que não será vantagem “aproveitar” a mesma anestesia e dia, se não houver estrutura pós-operatória.

Por isso, quando pensar em cirurgia plástica associada o ideal é consultar profissional capacitado e analisar os riscos e vantagens, lembrando que um procedimento estético precisa ser pensado e programado para atingir o resultado esperado com a segurança à vida.