Conheça o Dr. Deodato Leite

Nunca me passou pela cabeça ser qualquer coisa a não ser médico. Sempre tive uma grande curiosidade sobre o funcionamento corpo humano e me admira muito até hoje a perfeição dessa incrível máquina que tem um alto grau de auto reparação e que mesmo com a nossa ajuda limitada nos surpreende com sua grande capacidade de recuperação e regeneração.

Formei-me médico pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro que cursei de 1977 até 1982. A gloriosa Faculdade Nacional de Medicina também conhecida na época como faculdade da Praia Vermelha hoje conhecida como Fundão.

Já nos primeiros anos da faculdade comecei a estagiar em hospitais da Baixada Fluminense geralmente em serviços de obstetrícia. Nestes estágios tive a honra de ter colocado no mundo centenas ou talvez até milhares de crianças e esta foi realmente a minha porta de entrada para esta maravilhosa carreira.

A partir do quinto ano de faculdade comecei a ajudar um cirurgião plástico, Dr Waldírio Silva, na época um jovem médico iniciando-se na prática da cirurgia plástica. Este me deu as primeiras orientações nesta área que posteriormente se tornaria minha maior paixão. Acompanhei o Dr Waldírio por dois anos até me formar médico.

Já com o diploma de médico e com muito orgulho, voltei para São Paulo e fui para a Santa Casa de Misericórdia onde fui recebido de braços abertos pelo maior médico que já conheci, o Dr. Emílio Athie. Foi naquela casa que realmente aprendi a ser médico. Devo isso a Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e aos seus professores, e quadro clínico. Nos quatro anos que fiquei lá procurei absorver tudo, não só de medicina mas também de relacionamento médico paciente, e sobretudo compaixão. Lá passei de aluno a médico pelas mãos destes colegas que tanto me ensinaram.

Na Santa Casa rodando por dois anos nos corredores do Departamento de Cirurgia me espelhei nos mestres Drs. Fares Rahal, Peretz Capelhuchnnik, Arildo de Toledo Viana, Armando De Capua e João Fava que eram paradigmas para mim.

Ao termino destes dois anos tive a honra de poder ir para a cadeira de Cirurgia Plástica da mesma escola que na época era chefiada pelo Dr Álvaro Duarte Cardoso e me iniciei formalmente na cirurgia plástica pelas mãos do Dr. Douglas Jorge e Américo Helene Junior os quais até hoje admiro muito.

Egresso da Santa Casa fiz as provas da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e tirei meu Título de Especialista em Cirurgia Plástica tornando-me membro Associado desta egrégia sociedade. Fiz dois concursos públicos para cirurgião plástico e fui aprovado nos dois tendo trabalhado no Serviço de Queimados do Hospital Municipal do Tatuapé por muitos anos e no Serviço de Cirurgia Plástica do Hospital do Servidor Público Municipal como preceptor dos residentes da clínica de cirurgia plástica então chefiada pelo Prof. Dr. Luiz Carlos Manganello de Souza.

Com o aumento do movimento dos pacientes no consultório tive que gradualmente ir deixando esses empregos públicos onde tive a honra de ter trabalhado e a partir de 1998 passei a dedicar-me exclusivamente a clínica particular.

Na clínica particular a dedicação aos pacientes é total e o médico tem que dar retorno as expectativas dos pacientes. É onde o médico encontra-se totalmente só, sem o apoio de uma instituição que respalde suas ações. No consultório tudo é muito mais intenso devido ao caráter personalíssimo da medicina, é onde seus acertos são sua glória e seus insucessos o seu flagelo. O médico mais corajoso é o que dedica sua vida aos seus pacientes do consultório pois no hospital escola e no hospital público ele é mais um a tratar de muitos e assim as responsabilidades são divididas entre todos e a instituição. Já no consultório a relação é só entre estes dois elementos desta intrigante equação, o médico e o paciente com Deus sobre os dois a guia-los pelos caminhos desse encontro tão importante e decisivo.

Dr. Deodato Ferreira Leite
Médico